segunda-feira, 24 de junho de 2013

Conselhos para se sentir bem consigo mesma.

Como vencer a crise no casamento


A mentalidade utilitarista tem tomado conta da sociedade moderna, onde cada um busca o que é seu. É a mentalidade egoísta da auto-satisfação e do proveito próprio (cada um quer levar vantagem em tudo). É aquele patrão que suga do empregado e depois o dispensa quando este já não lhe interessa mais. A mesma mentalidade descartável se observa no casamento, quando as pessoas parecem mais perguntar: "que vantagem que eu levo?"
Do que "o que é que eu estou trazendo para o casamento?". Os votos e os compromissos do casamento, tais como: "na felicidade ou na desventura, em riqueza ou na pobreza, com saúde ou enfermo(a)... até que a morte nos separe", são quebrados com a maior facilidade. Assim, quase tudo se torna desculpa para a separação e o divórcio. Infantilidade e leviandade são uma constante em nossa sociedade. Os casais não se esforçam mais como antigamente para enfrentar e superar os obstáculos que surgem ao casamento. Não unem mais suas forças para remover o obstáculo ou superá-lo com criatividade e disposição. Mas, afinal, o que é o casamento? Seria meramente um contrato social entre duas pessoas? O que deve sustentar um casamento? A falta de amor seria desculpa legítima para se dissolver um casamento? Dietrich Bonhoeffer escreveu um sermão para o casamento de uma sobrinha sua. Disse ele: "O casamento é maior do que o amor que vocês têm um pelo outro.
Ele tem em si grande dignidade e força por ser a ordenança santa através da qual Deus planejou a perpetuação da raça humana, até o fim dos tempos. No amor que os une, vocês vêem apenas a si mesmos no mundo, mas ao se casarem tornam-se um elo na cadeia das gerações que Deus faz aparecer e partir para sua glória, chamando-as para o seu reino. Em seu amor, vocês vêem apenas o sétimo céu da sua felicidade, mas no casamento recebem uma posição de responsabilidade perante o mundo e a raça humana. Seu amor é propriedade particular, mas o casamento não pertence a vocês; é um símbolo social, uma função de responsabilidade."
Nossa sociedade tem perdido o senso da importância da aliança. Cada dia que passa, as pessoas estão levando menos a sério os votos e os compromissos de fidelidade. O número de divórcios tem aumentado em ritmo muito acelerado e preocupante. Parece que as pessoas em geral não estão nem aí para o fato de Deus odiar o repúdio (Malaquias 2.10-16). Pensam que o divórcio é a solução para os problemas de relacionamento. Perderam o temor do Senhor que é base de sustentação dos relacionamentos humanos como ensinou o Apóstolo Paulo (Ef 5.21, 22 e 25; Cl 3.18). Paulo ressalta as expressões "no temor do Senhor", "como ao Senhor" e "como convém no Senhor", mostrando que, respeitando a Deus e buscando agradá-lo, encontraremos uma maneira de nos entendermos bem com a outra pessoa. Temos aí um bom fundamento para a solução das diferenças, crises e problemas do casamento. Então, o casal, no temor do Senhor, deve levar a sério sua aliança e compromisso; ambos devem procurar nutrir o amor e o afeto. Cada um deve se esforçar por preservar a unidade, a harmonia, promovendo, assim, a felicidade do lar. É possível quando se tem vontade, quando se tem fé e quando se busca amar.
Enfrentando crises e dificuldades no casamento:
Algumas áreas de atrito: 1) Comportamento: Temperamento - reagimos de modo diferente, etc. 2) Psicológicos: traumas e feridas na alma (necessário ser sensível ao cônjuge, conhecer seus dilemas interiores, seus traumas familiares: maneira como foi criada, etc.); 3) Criação: hábitos fortíssimos e arraigados (toalhas e roupas jogadas; limpeza e higiene; etc.) 4) gostos diferentes 5) supervalorização do irrisório, se faz uma tempestade num copo d’água (ronco, por exemplo) 6) Decisões e escolhas; decisões pessoais e profissionais (o marido, por exemplo, que vive trocando de emprego e comunica depois a esposa; mudança, compras, etc - o ideal seria uma profunda participação nas decisões mútuas) 7) Finanças 8) Intromissões de familiares e amigos; como deve ser o relacionamento com os sogros? Quem deve estabelecer os limites? Como evitar problemas nesta área? Como solucionar os já existentes? 9) Sexo e afeto 10) Quando o cônjuge é negligente para com as suas responsabilidades; 11) Vícios; 12) Falta de Comunicação; palavras duras e cruéis; carência de palavras amigas e cheias de afeto; falta de elogios em particular e em público; 13) Ciúmes; 14) infidelidade, mentiras.
O que fazer quando brigamos? Somos humildes para reconhecer os nossos erros ou sempre nos justificamos? Sabemos pedir perdão? Somos maduros o suficiente para perdoar e buscar a reconciliação? Tomamos a iniciativa para a reaproximação ou ficamos esperando que o outro o faça? Estamos dispostos a renunciar aquilo que estorva nosso relacionamento conjugal e familiar, abandonando uma atitude egoísta e buscando o bem comum a todos? O que cada cônjuge pode fazer para melhorar o seu casamento?
O que fazer quando o amor esfria ou acaba? A falta de amor não deve ser usada como desculpa para a separação. Vimos acima que o amor não é a base para o casamento, mas que é o compromisso do casamento levado a sério que deve servir de base para a edificação e resistência do amor. O amor não é opção é mandamento. É dever de um cônjuge amar o outro. Amor é verbo, é ação. O amor não é algo externo a nós, como um raio que cai sobre nós, a respeito do qual não podemos fazer nada. Somos responsáveis pelo amor. Não podemos dizer: "não amo mais, acabou. O que me resta fazer agora senão desistir? Ou, o que posso fazer já que não amo mais?". Pois, na verdade, você pode fazer muito. Você pode amar! Você pode investir no amor, plantar, regar, cultivar, fazer crescer. O amor é arma poderosa que pode transformar toda e qualquer situação. Plante o amor e colherá o fruto da felicidade. Devemos amar assim como Deus nos amou, de maneira incondicional. Mas, muitos dizem: "Eu amarei se ele(a) fizer isso e aquilo." O imediatismo e o utilitarismo presentes em nossa sociedade faz com que a maioria não esteja disposta a suportar as frustrações geradas pelas relações humanas, o que gera ruptura prematura das relações de amor e amizade, não concedendo a elas o tempo necessário e a chance de sobreviver e de se solidificar. Maturidade é saber se impor frustração em curto prazo para colher satisfação a médio e longo prazo. Você está disposto a investir amor no seu casamento?



DICAS PARA COMBATER A ANSIEDADE


Ansiedade e medo são emoções tão corriqueiras que o dicionário está repleto de sinônimos para elas. A principal diferença entre medo e ansiedade é que o primeiro ocorre como uma resposta a um perigo real, enquanto a segunda ocorre sem que qualquer tipo de perigo objetivo esteja presente. 

A ansiedade é um estado emocional parecido com o medo, porém dirigido para o futuro, desproporcional (a uma ameaça reconhecível) e que traz intenso desconforto físico.
A ansiedade pode manifestar-se de várias maneiras: em forma de ataques de pânico, de fobias (medos específicos de altura, avião, situações sociais, etc), como conseqüência de uma experiência traumática (assaltos, acidentes, etc) e de maneira generalizada (quando os sintomas persistem constantes ao longo do tempo). Em todos estes casos é possível lidar com a ansiedade utilizando técnicas psicológicas e/ou tratamentos farmacológicos adequados. Além desses recursos, alguns procedimentos simples têm-se mostrado eficazes e serão descritos a seguir.


1) Aprenda a relaxar. As técnicas de relaxamento são úteis em relação a todos os sintomas ansiosos. Uma maneira prática de fazer isso: feche os olhos e percorra toda musculatura do corpo, contraindo-a e relaxando-a em seguida. Comece pelo pé e vá passando gradativamente para as outras partes até chegar à cabeça. Isso pode ser feito na posição sentada ou deitada. Fique atento à sua respiração.

2) Respirar é algo tão automático na nossa existência que poucos imaginam o quanto este ato tão simples está relacionado à ansiedade. A respiração ansiosa é curta, concentra-se no peito. Por isso, mesmo no decorrer de uma crise de ansiedade, é necessário que se procure uma respiração completa e profunda. Para isso, inspire o ar até que a barriga fique cheia como um balão de ar. Depois, expire lentamente até sentir se totalmente "vazio". Repita o procedimento quantas vezes forem necessárias.

3) Praticar esportes ou simplesmente caminhar são recursos úteis na diminuição da ansiedade e do estresse. Tente praticar algum esporte pela manhã. Faça isso sempre que possível mas não exagere. O exercício compulsivo pode ter o efeito inverso.

4) Evite café, cigarro, bebidas do tipo cola e outros estimulantes. Estas substâncias aumentam a ansiedade e desencadeiam ataques de pânico. Entretanto, o momento em que se inicia um tratamento para ansiedade não é o melhor momento para parar de fumar. A parada brusca do cigarro leva aos sintomas de abstinência que piorarão a sua ansiedade.

5) Se você tiver interesse em técnicas de meditação, saiba que lhe serão extremamente úteis no controle da ansiedade. A meditação, seja ela Zen-Budista, Yoga ou religiosa, orienta a experiência do momento presente, trabalha a respiração e facilita o contato consigo mesmo.

6) As pessoas ansiosas costumam ter pensamentos catastróficos a respeito de toda e qualquer situação. Observe seus pensamentos e, se lhe parecerem excessivamente catastróficos, anote-os e procure uma interpretação mais realista da situação.

7) Se sua ansiedade tiver começado após a vivência de uma situação traumática como assalto, estupro, etc., você deve procurar ajuda para enfrentá-la. Neste caso, evitar as situações relacionadas à experiência traumáticas também só piorará sua ansiedade e limitará sua vida.

8) Se a ansiedade é fóbica, ou seja, medo de um objeto ou situação que o obriga a evitá-la e acaba por limitar sua vida, é importante lembrar que o único meio de lidar com o problema é enfrentando-o. Evitar uma situação temida só colabora para que a ansiedade em relação a ela seja cada vez maior. Se, aos poucos, enfrentamos estes "fantasmas" e nos reconhecemos capazes de lidar com eles (respirando fundo, por exemplo), o medo diminui e nos sentimos mais seguros. O que tecnicamente é conhecido como "terapia de exposição" consiste no planejamento desta aproximação à situação temida e a ansiedade associada a ela.

9) Se a ansiedade é imensa e desencadeia ataques de pânico, não se apavore. O ataque de pânico é uma reação fisiológica que, por mais terrível que seja, vai embora num tempo determinado. Se você enfrentar o ataque de pânico, ou seja, apenas esperar que ele acabe, verá que seu tempo de duração não é tão longo quanto se imaginava. Respirar e relaxar são recursos que ajudam a suportar estes minutos tão difíceis. Não acredite que evitando as situações onde você imagina que terá um ataque de pânico vai ajudá-lo a livrar-se dele. O melhor a fazer é dar-lhe a devida proporção: é "apenas" uma descarga de adrenalina que não mata, nem deixa seqüelas e dura poucos minutos.

10) Quando a ansiedade aumenta em situações sociais, a melhor maneira de lidar com ela também é enfrentá-la. Não deixe de estar com pessoas por medo de uma crise de ansiedade. Nestas situações, é possível utilizar outros recursos apropriados: 


  • procure prestar atenção nas pessoas à sua volta. Tire o foco de si mesmo e pare de criticar-se. As demais pessoas podem ser interessantes e certamente também estão vulneráveis a críticas.

  • se perceber que está ruborizado, suando ou tremendo, lembre-se de que estes sinais são mais perceptíveis para você do que para os demais. Além disso, ficar ansioso não é sinal de fraqueza e não precisa se envergonhar disso. Assim como ataques de pânico, em poucos minutos estas sensações mais intensas cedem e desaparecem.

  • aprenda a colocar sua opinião sempre que tiver algo a dizer. Participe. Falar em público e expor suas idéias é uma questão de treino.Quando a ansiedade for demasiadamente intensa e as orientações descritas forem insuficientes para ajudá-lo, é indicado o tratamento farmacológico e/ou psicoterápico. Muitas vezes, é necessário iniciar o tratamento de sua ansiedade com medicações que diminuam as crises mais intensas e lhe permitam maior estabilidade para realização de uma psicoterapia ou para utilização das orientações apresentadas aqui.

CONSELHOS PARA SE SENTIR BEM CONSIGO MESMA








Então, onde está a verdadeira beleza? Com certeza não está no ingrediente secreto de uma fórmula de gloss de ultra brilho de longa duração para os lábios, e você certamente não irá encontrá-la escondida no corredor de cosméticos de uma farmácia. A beleza está no conhecimento de que você se gosta, e que você é verdadeira com o seu próprio coração. Está em ter olhos que brilham de compaixão e está em ver o melhor nas pessoas. Está em ter lábios que falam fortemente quando você foi manipulada de forma injusta e que falam suavemente quando você está consolando alguém que foi manipulado. A característica mais bonita que você pode ter é a confiança! Descubra o que você gosta em você e deixe esta chama brilhar. Esta é a verdadeira beleza. Neste artigo, você irá aprender a amar a si mesma, bem como a todos os outros.

Quando acreditamos em nós mesmos, podemos arriscar ser curiosos, sonhar, ser espontâneos, ou qualquer oura coisa que eleve o espirito humano.
Uma das coisas que impedem as pessoas de perseguir os seus sonhos é o medo do fracasso, e a falta de auto-confiança para vencer esse medo e ir á luta. Todos sofremos desse mal, de alguma forma.
Uma das coisas que impedem as pessoas de perseguir os seus sonhos é o medo do fracasso, e a falta de auto-confiança para vencer esse medo e ir á luta. Todos sofremos desse mal, de alguma forma.
A questão fundamental é: Como vencer esse medo? 

Ao trabalhar a sua auto-confiança e auto-estima! Ao longo do tempo, é isso que o vai ajudar a superar definitivamente os receios, e, finalmente perseguir os seus sonhos. 

Os receios e dúvidas vão continuar a existir. Mas pode vencê-los, basta ultrapassar o medo. Quanto mais o fizer, mais sucesso terá. É bastante díficil arranjar tempo e disponibilidade para os seus planos e sonhos se não acreditar em si e nos seus sonhos.
Se tem baixa auto-estima, é possível fazer alguma coisa para mudar isso? Pode controlar os seus níveis de confiança?

Embora possa parecer que não, eu acredito que é possível alterar isso e aumentar a sua auto-confiança. Não é uma característica genética, e não depende dos outros. Se acha que não inteligente, competente ou atraente, etc ... isso pode mudar.

Pode tornar-se digno de respeito, e fazer o que quiser, independentemente do que os outros possam pensar. Pode fazer isso, tomando controle de sua vida, e assumindo o controle da sua auto-confiança. Ao tomar atitudes concretas que melhorem as suas capacidades, e a sua imagem, pode aumentar a auto-confiança, sem a ajuda de mais ninguém. 

A seguir estão 25 dicas para ajudá-lo a fazer isso. Não são conselhos mágicos que vão mudar a sua vida milagrosamente e sem esforço, são apenas algumas conselhos que funcionam comigo e com outras pessoas.



Não precisa de tentar todas, não é uma receita ... leia e escolha as que gostar mais, comece apenas com algumas e dê-lhes tempo para ver os resultados, se não resultarem, tente outras. 

Aqui estão elas, sem nenhuma ordem especial:
. Arranje-se. Esta parece ser evidente, mas é impressionante a diferença que um corte de cabelo, fazer a barba ou a depilação, por um creme e perfume podem fazer à sua auto-estima. Pode transformar completamente o seu humor. 

2. Vista-se bem. Um complemento da primeira dica ... se se vestir bem, vai sentir-se bem consigo mesmo. Vai se sentir bem sucedido e apresentável e pronto para enfrentar o mundo. Mas o significado de vestir-se bem é diferente para todos ... não significa que tem de usar roupas caras, podem ser roupas casuais mas que sejam apresentáveis e lhe fiquem bem.

3. Mude a sua auto-imagem mental. A nossa auto-imagem significa muito para nós, mais do que muitas vezes percebemos. Temos uma imagem mental de nós mesmos, que determina o modo como nos sentimos confiantes (ou não). Mas essa imagem não é fixa e imutável. Pode mudá-la. Use as suas capacidades mentais, e trabalhe a sua auto-imagem. Se não gostar dela, mude-a. Descubra porque se vê desse modo, e faça o que preciso para o mudar. 

4. Pense positivo. Pode mudar o seu pensamento, e ao fazê-lo pode fazer com que grandes mudanças aconteçam. Para o conseguir comece por substituir pensamentos negativos por positivos. 

5. Acabe com os pensamentos negativos. Parece o mesmo que o item acima, mas é tão importante que deve ser falado em separado. Tem de tomar consciência da sua conversa mental, dos pensamentos que tem sobre si mesmo, e quando está a fazer alguma coisa. Quando está a fazer algo que precise esforço, como fazer exercício, por vezes vai pensar, "Isto é muito difícil. Quero parar e ir ver televisão. " Aprenda a reconhecer esses pensamentos negativos, imagine que esses pensamentos são como um insecto e esmague-os! (é um truque que funciona mas pode pensar noutra coisa). Depois, substitua-o com uma coisa positiva. ( "Eu consigo, já só faltam 15 minutos para o fim do treino") 

Conhece-te e vais ganhar todas as batalhas. -

6. Conheça-se a si mesmo. Quando vai para a batalha, o mais sábio geral aprende a conhecer o seu inimigo muito, muito bem. Não pode derrotar o inimigo sem o conhecer. E quando está a tentar superar uma auto-imagem negativa e substituí-la com auto-confiança, o seu inimigo é você mesmo. Conheça-se bem. Comece a ouvir seus pensamentos. Comece a escrever um diário sobre si, e sobre os pensamentos que tem sobre si, e perceba de onde vêm esses pensamentos negativos. Depois comece a pensar sobre as coisas que gosta em si, aquilo que sabe fazer bem, as coisas que gosta. Pense nas suas limitações, e se são reais ou criadas pela sua mente e pelos seus medos. Mergulhe dentro de si mesmo, e descubra a sua auto-confiança. 

7. Agir positivamente. Mais do que ter apenas pensamentos positivos, tem que agir em conformidade. Ação é a chave para o desenvolvimento da auto-confiança. É uma coisa aprender a pensar positivo, mas quando começar a agir, vai começar realmente a mudar, uma ação de cada vez. Você é o que faz, e por isso, se mudar o que faz, vai mudar quem é. Tem de agir de uma forma positiva, agir em vez de pensar que não pode, e ser positivo. Converse com pessoas de uma forma positiva, coloque mais energia em tudo o que faz. Em breve, começará a notar a diferença, e as pessoas à sua volta também. 

8. Seja gentil e generoso. (Um pouco lamechas eu sei. Se for demasiado sentimental para si, passe à frente). Seja ser gentil com os outros, e generoso consigo mesmo e com o seu tempo, é uma ótima forma de melhorar a sua auto-imagem. Vai começar a sentir-se bem consigo, e pensar que é uma boa pessoa. Pode fazer maravilhas pela sua auto-confiança, acredite em mim. 

Uma chave importante para o sucesso é a auto-confiança. Uma chave para a auto-confiança é prepare-se.

9. Prepare-se. É difícil ter confiança em si mesmo se acha que não vai conseguir fazer alguma coisa. Vença esse sentimento, preparando-se tanto quanto possível. Um exame por exemplo: se não tiver estudado, não vai ter confiança nas suas habilidades para ter um bom resultado no exame. Mas se se fartou de estudar, está preparado, e estará muito mais confiante. Agora pense na vida como o seu exame, e prepare-se. 

10. Conheça os seus princípios e viva de acordo com eles. Quais são os princípios em que assenta a sua vida? Se não sabe, então vai-se sentir perdido e sem direção. Pense nos seus princípios ... certamente que os tem, mas talvez não tenha pensado muito neles. Agora pense se vive realmente de acordo com eles ou se apenas acreditar neles, sem agir de acordo. Descubra os seus princípios fundamentais, e tente viver a vida de acordo com eles. Nem sempre vai ser fácil, mas tem de tentar. 

11. Fale devagar. Uma coisa simples, mas que pode ter uma grande diferença no modo como as outras pessoas o percebem. Uma pessoa com autoridade, fala devagar. Demonstra confiança. Uma pessoa que pensa que não merece ser ouvida, fala rapidamente, porque não pretende manter os outros à espera de alguma coisa que não é digna de se ouvir. Mesmo se não se sinta confiante, tente fazê-lo algumas vezes e veja as diferenças. Sentir que as pessoas o ouvem vai melhorar a sua confiança. 

12. Tenha uma boa postura. Eu costumava ter uma postura terrível, mas tenho melhorado com o yôga. Sempre que me lembro corrijo a minha postura, e sinto-me logo melhor. Se reparar as pessoas com uma postura direita demonstram mais autoridade e confiança, e são mais atraentes. 

13. Aumente as suas competências. Como se pode sentir mais competente? Ao tornar-se mais competente. E como fazer isso? Ao estudar e praticar. Basta fazê-lo aos poucos. Se quiser melhorar no desenho, por exemplo, não comece com um grande quadro. Comece por fazer alguns esboços num caderno, e vá treinando um pouco todos os dias. Quanto mais desenhar, melhor vai ser o resultado. A prática irá aumentar a sua competência, qualquer que seja a área. 

14. Defina um pequeno objectivo e alcance-o. As pessoas muitas vezes cometem o erro de definir um grande objectivo, e quando falham, ficam desmotivados. Em vez disso, defina um objectivo viável. Defina uma meta que sabe que pode conseguir, e depois, alcance-a. Vai se sentir muito bem com isso. Depois defina outra e alcance-a também. Quanto mais coisas conseguir atingir, melhor se torna a fazê-lo, e melhor se sente. Em breve conseguirá definir objetivos grandes, e realizá-los também.

15. Alterar um pequeno hábito. Não um grande, como deixar fumar. Basta um pequeno, como fazer a lista de compras antes de ir ao super mercado. Ou acordar 10 minutos mais cedo. Ou beber um copo de água quando acorda. Uma coisa pequena que saiba que pode fazer. Faça-o durante um mês. Quando tiver conseguido isso, vai se sentir fantástico. 

16. Concentre-se em soluções. Se se está sempre a queixar, ou concentrado nos problemas, mude o seu foco agora. Centrar-se nas soluções em vez de nos problemas é uma das melhores coisas que pode fazer pela sua confiança e pela sua carreira. "Eu sou gordo e preguiçoso!" Como pode resolver isso? "Mas não me consigo motivar!" Como pode resolver isso? "Eu não tenho energia!" Qual a solução? 

17. Sorrir. Outro conselho banal. Mas que também funciona. Eu sinto-me logo melhor quando sorrio, e também me ajuda a ser carinhoso com os outros. Um gesto pequeno que pode provocar uma reação em cadeia. Não é um mau investimento do seu tempo e energia. 

18. Voluntariado. Está relacionado com o item "ser gentil e generoso" , use algum do seu tempo para melhorar a vida dos outros. Vai ser o melhor que pode fazer com o seu tempo, e ajudar outra pessoa vai fazer com que se sentir melhor consigo, instantaneamente. 

19. Seja grato. Eu acredito na importância da gratidão. Estar grato pelo que tem na vida, pelo que recebe dos outros, é uma ação muito humilde ... que também pode ser muito positiva e gratificante, e que irá melhorar a sua auto-imagem ao perceber as coisas boas que tem à sua volta. 

20. Exercício. Fazer exercício é uma atividades muito poderosa, e que o vai fazer sentir-se muito melhor consigo mesmo tanto física como mentalmente. 

Tudo que tem de fazer é dar um passeio algumas vezes por semana, e verá os benefícios. Comece esse hábito. 

21. Ganhe autonomia tendo mais conhecimentos.Responsabilizar-se, em geral, é uma das melhores estratégias para a construção de auto-confiança. Pode fazer isso de várias maneiras, mas uma das melhores formas de o conseguir é através do conhecimento. Tal como construir competências e preparar-se ... ter mais conhecimentos, vai-lhe dar mais confiança ... aumente os seus conhecimentos estudando e fazendo investigação. A Internet é uma ótima ferramenta, mas também as pessoas á sua volta, pessoas que já fizeram aquilo que quer fazer, bem como livros, revistas e instituições educativas. 

22. Faça alguma coisa que teima em adiar. O que está na sua lista de tarefas à séculos? Faça-o amanhã de manhã, e tire-o do caminho. Vai se sentir muito melhor. 

23. Seja ativo. Fazer alguma coisa é quase sempre melhor do que não fazer nada. É claro que pode fazer alguma coisa errada ... mas os erros fazem parte da vida. É assim que se aprende. Sem errar, nunca vai evoluir. Não se preocupe com isso. Levante-se e faça alguma coisa - fisicamente, ou tomando medidas para conseguir alguma coisa. 

24. Trabalhe em pequenas tarefas. Tentar assumir um grande projecto ou tarefa pode ser assustador e intimidante, mesmo para o melhor de nós. Em vez disso, aprenda a dividir as coisas em pequenos pedaços e trabalhe num deles de cada vez. Pequenas conquistas fazem com que se sinta bem, e todos eles se somados dão grandes realizações. Aprenda a trabalhar sempre assim, e vai conseguir tudo a que se propuser. 

25. Arrume a sua secretária. Isto parece uma coisa simples (para alguns talvez não seja assim tão simples ). Arrumar a sua secretária é uma forma de ganhar controlo da sua vida. Se o seu local de trabalho estiver confuso, é díficil concentrar-se e fazer aquilo que precisa. 

De alguma maneira, eu não posso acreditar que haja alguma montanha que não possa ser escalada por um homem que saiba o segredo de tornar sonhos realidade. Este segredo especial, parece-me, pode ser resumido em quatro C s. Eles são curiosidade, confiança, coragem e constância, e o maior de todos é a confiança. Quando acreditar em uma coisa, acredite em tudo o que o envolve, implícita e inquestionávelmente. -

Como faz para aumentar a sua auto-confiança? O que pensa sobre o tema? Deixe o seu comentário.

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *