quinta-feira, 3 de julho de 2014

A historia do esmalte e propagandas antigas

A historia do esmalte e propagandas antigas


Oi meninas, eu sei muito bem que assim como eu, você é super antenada e sempre procura saber sobre as novidades e lançamentos do mundo esmaltístico não é verdade?
        Pois é, hoje eu não vim trazer nenhum lançamento ou novidade para você,mas sim um pouco da historia desses vidrinhos que nós tanto amamos.


Propaganda antiga da Avon

 Então vamos lá!


        No Egito há 3500 a.C as mulheres passavam hena nas unhas, e não durava nem um dia.
        As cores das unhas diferenciavam a classe das mulheres, as comuns usavam cor preta e que depois passou a ser marrom, já para as nobres eram cores mais vibrantes,usavam o vermelho.        

 Cleópatra por exemplo usava somente vermelho escuro, e Nefertiti, o tom rubi.

A civilização chinesa (3000 a.C) criaram os esmaltes metalizados, fabricados com soluções de prata.
        Para os chineses, os nobres usavam unhas compridas e em diversos tons vermelhos, e os guerreiros, antes de saírem para as suas batalhas, as pintavam de preto.

        Nossos vidrinhos não evoluiram até o século XIX, devido a todo o recato da época, as unhas passaram a serem curtas, moldadas com a lixa, polidas com um tira de couro, o único luxo das unhas era serem perfumadas com óleo.
        

      Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito até hoje utilizado 
para a remoção das cutículas.
        No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje.
Mulher nobre com unhas vermelhas



No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa.
        Durante todo o decorrer do século XX, o esmalte foi utilizado pelas mulheres com uma importância secundária, com pouca variação em suas cores e com muito preconceito a quem ousasse pintar as unhas de cores mais chamativas.   
          Aos poucos, o vermelho foi sendo mais bem-aceito e os tons de café também invadiram a paleta de cores disponíveis no mercado, mas este só passou por uma revolução mesmo a partir de 2007, com o lançamento do Black Satin pela gigante francesa Channel.

   Com o passar dos anos, mais esmaltes, cores, acabamentos, coberturas, texturas, bases, surgem no mercado para o delírio das consumidoras.

 Propagandas Antigas de Esmaltes


00 a.C) criaram os esmaltes metalizados, fabricados com soluções de prata.
        Para os chineses, os nobres usavam unhas compridas e em diversos tons vermelhos, e os guerreiros, antes de saírem para as suas batalhas, as pintavam de preto.

        Nossos vidrinhos não evoluiram até o século XIX, devido a todo o recato da época, as unhas passaram a serem curtas, moldadas com a lixa, polidas com um tira de couro, o único luxo das unhas era serem perfumadas com óleo.
        

      Até essa época, uma das grandes descobertas foi a invenção do palito até hoje utilizado 
para a remoção das cutículas.
        No começo do século XX, os esmaltes começaram a recuperar espaço com o uso de soluções coloridas que não permaneciam fixadas mais do que algumas horas. Somente em 1925, durante estudos que desenvolviam tinturas para carros, foram descobertas as primeiras soluções que se assemelham com os esmaltes de hoje.

     

No ano de 1932, os irmãos Charles e Joseph Revlon custearam a invenção de um novo tipo de esmalte, mais brilhante e com um leque variado de tonalidades.Nas décadas seguintes, vemos que a tecnologia empregada foi se tornando cada vez mais complexa.
        Durante todo o decorrer do século XX, o esmalte foi utilizado pelas mulheres com uma importância secundária, com pouca variação em suas cores e com muito preconceito a quem ousasse pintar as unhas de cores mais chamativas.
          Aos poucos, o vermelho foi sendo mais bem-aceito e os tons de café também invadiram a paleta de cores disponíveis no mercado, mas este só passou por uma revolução mesmo a partir de 2007, com o lançamento do Black Satin pela gigante francesa Chanel.
   Com o passar dos anos, mais esmaltes, cores, aca bamentos, coberturas, texturas, bases, surgem no mercado para o delírio das consumidoras.
           E agora a nova moda é colecionar esses vidrinhos maravilhosos, eu tenho muitos, e comecei a minha coleção a pouco mais de 1 ano e me arrependo muito de não ter começado antes, sonho em ter vidrinhos antigos, mas é muito difícil de achar.

        Propagandas Antigas de Esmaltes






E ai gostaram? espero que sim.
         Um grande beijo para vocês.


Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *